Quem bate para ensinar, ensina a bater

Mais de 80% dos casos que chegam ao Núcleo de Atenção à Criança e ao Adolescente (Naca) são de menores vítimas de abuso sexual e desses, 36% foram molestados pelo próprio pai. Segundo o titular substituto da Delegacia da Criança e do Adolescente (Deca), Félix Rafanhim, casos de maus-tratos e violência infantil geraram oito inquéritos policiais e 14 termos circunstanciais de janeiro a outubro deste ano. Em todos há vinculação direta entre o agressor e o menor.

Recentemente um caso chocou a região. Um menor de dois anos foi brutalmente espancado pela mãe e o padrasto e sofreu traumatismo craniano. Ambos foram presos e o pai ficou com a guarda da criança. Também há pouco tempo, segundo informações do Conselho Tutelar, um bebê de seis meses teve um braço destroncado pela violência da mãe, de 16 anos. Hoje está sob os cuidados da avó paterna.

Os números da violência infantil no município, o trabalho do Naca e como denunciar os abusos são alguns pontos abordados na reportagem especial da edição conjunta do Diário Popular de segunda e terça-feira (16).

Esta entrada foi publicada em Notícias, Sala de Imprensa. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Uma resposta a Quem bate para ensinar, ensina a bater

  1. admin disse:

    Discussão pode rolar também